Tecnologia

Investimos constantemente em tecnologia, equipamentos de última geração, gestão e conhecimento para que os produtos que oferecemos sejam os melhores do mercado.

Temos visão proativa no desenvolvimento de soluções em embalagens plásticas, atuamos de forma ágil, inovadora e em sintonia com os padrões de exigência que unem a indústria ao consumidor final.

As tecnologias de produção que utilizamos são divididas em linha de termoformagem e linha de injeção. Conheça mais sobre cada uma delas:

Linha de Termoformagem

Extrusão de polipropileno

A extrusão do polipropileno é a primeira fase do processo de transformação da resina. Nessa etapa inicial, o polipropileno é processado através da extrusora em alta temperatura. Na sequência, o material passa por uma matriz plana, seguindo por uma calandra de cilindros que promove o resfriamento e resulta em uma bobina linear e uniforme.

Termoformagem

Nesta fase, a bobina originada no processo de extrusão passa por um pré-aquecimento, seguido de um aquecimento que leva ao quase amolecimento do polipropileno. Na sequência, a chapa é introduzida em um molde refrigerado com várias cavidades. Por ação de ar comprimido e vácuo, acontece a termoformagem da embalagem, que é, então, resfriada, cortada no diâmetro de boca e extraída do molde.

Impressão em dry off-set

A impressão pode ser feita em até seis cores por meio do sistema dry off-set. O processo consiste na sobreposição de todas as cores na blanqueta (meio de transporte de tinta para o produto), com transferência simultânea para a embalagem e secagem por ultravioleta (UV). Antes da transferência de cores propriamente dita, a embalagem é submetida à uma descarga eletrostática na própria impressora para permitir a aderência perfeita da tinta na embalagem.

Pré-impressão de tampas

Além da impressão em dry off-set, as tampas também podem passar pela pré-impressão, processo adotado por nós de forma pioneira no mercado. Consiste na impressão de um filme em flexografia até oito cores que, posteriormente, é laminado na chapa de polipropileno com adesivo sem solvente seguindo, na sequência, para a termoformagem. 

A diferença desse processo em relação ao dry off-set é que, além de oferecer uma qualidade de impressão superior, também permite uma área de impressão em todo o perímetro da tampa.

Aplicação de rótulo “sleeve”

Além da impressão em dry off-set para potes, também disponibilizamos aplicação de rótulos “sleeve”. Neste caso, o rótulo já impresso é posicionado automaticamente no pote sem impressão. A seguir, o pote passa por um túnel de encolhimento regulado a uma temperatura pré-estabelecida que permite o encolhimento do rótulo e fixação no formato exato da embalagem.
Esse tipo de rótulo impresso em flexografia permite o desenvolvimento de impressões mais elaboradas e complexas.

Linha de Injeção

Injeção de polipropileno

Nas embalagens injetadas, a injeção do polipropileno é o processo onde a resina no estado fluido é injetada diretamente dentro do molde, passando por resfriamento e abrindo-se para a retirada da embalagem pronta. O processo de injeção tem como característica a uniformidade maior da espessura das paredes da embalagem, quando comparado ao processo de termoformagem.

Impressão em dry off-set

O processo de impressão em dry off-set é o que mais utilizamos para a impressão de embalagens injetadas. Após o envio da arte pelo cliente, desenvolvemos o fotolito que vai gerar o clichê de impressão. 

A impressão pode ser feita em até seis cores por meio do sistema off-set seco. O processo consiste na sobreposição de todas as cores na blanqueta, com transferência simultânea para a embalagem e secagem por ultravioleta (UV). Antes da transferência de cores propriamente dita, a embalagem é submetida a uma descarga eletrostática na própria impressora para permitir a aderência perfeita da tinta na embalagem.

Decoração em In Mold Label (IML)

Para a linha de injetados, o In Mold Label é considerado o processo de decoração mais sofisticado disponível atualmente no mercado. Fomos pioneiros na utilização do método na linha de baldes.  

O processo conta com o auxílio de um robô que, no momento da injeção, também aplica na embalagem um filme previamente impresso em flexografia até oito cores. O resultado é uma embalagem final com o filme fundido na própria peça conferindo uma impressão de altíssima resolução com qualidade fotográfica.